Páginas

sábado, 31 de dezembro de 2011

Que seja bom




Acabei de apagar a luz e me deitar. Ponho “Crazy”, uma das músicas mais sexy que já ouvi, pra tocar, porque é nesse ritmo que eu quero levar a vida. O ano ainda não acabou oficialmente, mas antes que isso aconteça, já percebo que não é exatamente disso que eu preciso pra mudar, ou ser feliz ou fazer quem está a minha volta feliz. Há alguns longos e adoráveis dias que não olho pro calendário.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Bebam


Dia desses, passeando pelo face, me deparo com a frase “mulher que escolhe o homem pelo bolso não pode reclamar quando é tratada como mercadoria. Homem que escolhe mulher pela bunda não pode reclamar quando tem um relacionamento de merda”.

Sem querer dar uma de feminista chata, mas, de certa forma, quem disse isso tem razão. Não é inveja dos corpos bem esculpidos que desfilam por aí. Pelo menos não agora. O que eu faço é um apelo pra que mulheres de verdade voltem a inspirar homens de verdade. Só recuperando a essência perdida, o molejo machucado, aparecerão novos Chico’s, novos Tom’s, Noéis ou Marcelo’s da vida pra cantarem de novo a tristeza de se saber ser mulher.



quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Diga a eles que fico




A cada dia que passa você poderia ter uma maior certeza de que eu não vou te abandonar. Mas não, entre um homem e uma mulher que ainda não passaram dos 40, sempre haverá uma quase constante dúvida, aquela juvenil insegurança. Dia desses você resolveu me assustar. Disse que eu posso achar coisa melhor. Gaguejei e não entendi aonde queria chegar com essa conversa. Era pra ser um elogio, uma ameaça ou uma preparação pro dia que me forçar querer outro? Sinceramente, tive medo. Me explica?


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Quem não quer sou eu



" (...) Uma mulher infeliz por ter amor de menos, 
outra infeliz por ter amor demais. 
E o amor injustamente crucificado por ambas. 
Coitado do amor, é sempre acusado de provocar dor, 
quando deveria ser reverenciado simplesmente 
por ter acontecido em nossa vida, 
mesmo que sua passagem tenha sido breve. 
E se não foi, se permaneceu em nossa vida, aí é o luxo supremo.
Qualquer amor -até aqueles que a gente inventa- 
merece nossa total indulgência, porque quem costuma estragar tudo,
 caríssimos, não é ele, somos nós."

.                                                                       Martha Medeiros

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Alô, amor,



sou eu. Hoje te vi passar. Passar na minha vida de forma não muito convencional. Não é dessas histórias de adolescentes loucas que se apaixonam por quem não sorri para elas na rua. A gente se viu, se conversou. Aconteceu meio rápido, as circunstâncias em nada ajudaram, não tivemos muito tempo pra pensar, mas ainda assim a gente se quis. Mais que idealizar, aceitei seus defeitos. Acho que isso quer dizer alguma coisa, não? Pelo menos já sabemos que não se trata de uma paixão platônica.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Oração




Senhor, meu Deus, mais uma vez me perdoe. Sei que há tantas criancinhas na África pedindo um prato de comida, e eu aqui, Lhe incomodando de novo com minhas bobagens amorosas. Mas não é culpa minha se o Senhor nos inventou assim, partidos, separados em confusas metades.


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O pulso ainda pulsa




Tem dias que paro alguns minutos antes de render meu corpo cansado ao sono e ponho dois dedos, unidos, acima do meu peito  esquerdo, só pra conferir mais uma vez se o coração ainda pulsa. Nos tempos de hoje, paradas cardíacas no seu sentido mais poético e menos diagnosticável são cada vez mais recorrentes. Corações saudáveis têm freado por qualquer projeto que se vai ou por qualquer grande lembrança que fica. Por amores de rotina ou por qualquer um.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Comédia romântica


Meu quarto quase sempre permanece escuro, sozinho e triste. É assim que eu gosto dele. Pra deitar, ligar a TV e não prestar atenção. Eu preciso dela amenizando a escuridão e dizendo que o mundo continua acontecendo. Gostaria que você não estivesse aqui, mas a chuva lá fora aromatiza o cenário e varre minha mente. Eu precisava de um tempo pra entender o que está acontecendo, mas infelizmente sua voz até me acalma e não me deixa te deixar ir embora. O incenso distraidamente afrodisíaco tranqüiliza e muda o foco das minhas tensões. Eu gosto de respirar essa paz.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Para quem sempre tem razão



E então surgem faíscas entre nós. Não de paixão, mas de contrarreforma. Chateada, eu não faço mais questão de lhe entender. Estou no meu limite, cansada, sem paciência nenhuma pra ouvir suas desculpas, e num ímpeto de moça brava do interior, tampo os ouvidos pra qualquer ruído de paz. Eu não quero fazer as pazes. Não quero bancar a compreensiva. E acho que é hora de por ordem nisso que chamam de "sua vida" que na verdade é minha. Pra isso, eu preciso que guarde o que tem pra me dizer. Tenho pedido isso nos últimos trinta dias.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Instituto Universal




Ser feliz não é tão fácil como dizem por aí. Sentar na grama enquanto a brisa refresca seu rosto nem sempre é o bastante pra nos tocar. É legal essa parada de Dalai Lama e talz, mas até as coisas simples da vida perdem o efeito que têm sobre nós quando repetidas sem critérios. Às vezes a gente só precisa estar atento e descobrir novas fontes de felicidade.

domingo, 2 de outubro de 2011

Última tentativa




Depois de tanto clamar nosso amor e o julgar diferente e mais bonito que os outros, depois de tantos dias aprendendo a não ser tão impulsiva e apaixonada, eu não ligo de me contradizer buscando aquele ardor do início. Este é um momento derradeiro em nossas vidas e não quero que perdamos o resto daquela ternura que, arrisco dizer, só nós tínhamos. Fico lembrando um dia bonito em que você jogou fora todo o amargo e pediu sem pudores que eu ficasse. Sabe, amor, aquela foi a vez em que mais senti ternura saindo de sua voz. Ternura sincera de quem realmente não queria que eu partisse. Foi quando me emocionei por ter o cara mais imperfeito do mundo ao meu lado. Hoje, depois de tanto tempo, não sei se você seria tão doce assim, a ponto de não brigar pra estar sempre certo, custe o amor que custar.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Já que eu não posso te ter




      

Como diriam as mais otimistas, existe outra ocupando o lugar que deveria ser meu. Mas isso não é coisa de mulher madura dizer. Já que eu não posso te ter, tudo que devo fazer é fechar os olhos imediatamente para o que minha mente infantil insiste em querer. Não tem jeito e pronto. O negócio agora é seguir, sem olhar pra trás, nem tropeçar.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Dicas para amar




Se passássemos o dia assim, você retribuindo meus olhos admirados, pensando em maneiras de me surpreender, talvez eu não tivesse tanto tempo para escarafunchar os vazios que existem entre nós. Aliás, nem sei se esses vazios existem mesmo ou se são meras fantasias da minha cabeça apaixonada por novelas e estórias que nunca dão certo. Como diriam os odiadores de coisas inúteis, ando sendo manipulada pela mídia, mas ainda assim defendo: dê poesia a quem você ama.


quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Explicação sem pé nem cabeça




Perco textos. Minha paixão pela internet é tamanha, que até atualizar o blog com textos que já estão prontos se torna sacrifício. Sim, a primeira parte da frase foi uma ironia. Vou dar um exemplo: um trecho de um texto em que comecei a falar de André. Qual André? Sim.. aqueeele que você já esqueceu, daqueeela última novela das nove que você também já se esqueceu, Insensato alguma coisa. Tava lá o coitado do texto, solitário, numa pasta de nome nem um pouco explicativo. Acho que se chamava ‘Novos XV” como as outras 14 subpastas da pasta “Blog”. Por isso, havia me esquecido de sua existência.


terça-feira, 23 de agosto de 2011

Cães do inferno


O estrondo que a porta fez abafando os últimos passos rebolantes e raivosos que poderiam ser vistos da esquina do quarto foi o primeiro sinal de alerta captado por você, homem desligado e agora confuso. Sua mulher, a garotinha com quem fez planos e agora vivia um relacionamento estável lhe parece levemente insatisfeita com alguma coisa e você nem imagina o que possa ser. Você não entende, nunca estiveram tão bem. Há meses que não brigavam, inclusive.


sábado, 20 de agosto de 2011

O amor não



E de repente o mundo me abandona. 

domingo, 7 de agosto de 2011

De homem pra mulher




Escute: Te amo - Vanessa da Mata

O dia que eu tentei escrever na pele de um homem.

Quando eu a vi abrindo a boca em câmera lenta, deitada de frente pra mim, e fitando em transe a ponta do meu nariz como quem tenta lembrar a palavra certa, pensei que das duas uma: ou ela preparava aquelas unhas gigantescas de quem não lava louça pra incomodar os meus humildes cravos que não fazem mal a ninguém, ou dali sairia o único ‘te amo’ que eu levaria a sério em toda minha vida. Mas não, na verdade, eu me vi obrigado a unir todo meu conhecimento de leitura labial adquirida ao longo da vida tentando decifrar o que as mulheres dizem sem dizer, para aí sim, com muito esforço, entender aquele esboço de ‘eu te adoro’ que ela balbuciou. Então eu pensei: minha princesa, você anda freqüentando o orkut demais.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Desculpe o auê


Música da reconciliação: Desculpe o auê 



Mulheres surtam.

Sério mesmo. Piram o cabeçote, fazem a loca, até que resolvem se inserir no nosso grupo de apoio a mulheres que amam demais anônimas, o famoso MADA. Tudo por conta daquele sentimento estressante que deixa o peito espremido sempre que alguma vagaba se engraça pro lado do seu respectivo homem. Ta, foi mal. Desculpe-me pelo vocabulário, mas é que a gente fica assim, possessa. Perdemos a pose, descemos do salto. Viramos bicho.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Sete vidas



Toda vez que tomo banho, escrevo no box o seu nome e torço pra que o vapor não o apague.  Às vezes, junto alguns acordes fáceis e arrisco compor uma canção que fale de nós, mas nunca fica boa. Então eu jogo a palheta pro alto, amasso o repertório meloso e vou procurar você em qualquer outro canto.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Querido John,



quero através desta dizer que eu nunca comecei uma carta com “quero através desta”, porque assim eu não te tocaria. Seria como mandar uma carta pro John Lennon, John Kennedy ou sei lá, qualquer outro John sem importância perdido por aí.


E eu tenho uma mania irritante de querer mais. Querer causar fenômenos em você. Qualquer vulcão, qualquer euforia, qualquer tristeza vaga que te faça vir até mim. Te escrevo com a pretensão de soprar seus olhos daqui e fazer com que mudem de cor, como uma confusa aurora boreal de sentimentos, mesmo sendo a escuridão deles lanterna do meu caminho. Eu sei, já me avisaram que esses absurdos literários não são possíveis. Letras nunca movimentariam o ar e suas retinas serão pra sempre pretas. Mas você sabe, eu insisto em  provocar efeitos em você. É assim que se alimenta o amor.

sábado, 23 de julho de 2011

O segredo




Que força do pensamento que nada. Se aos meus olhos o trajeto Sabinópolis/Diamantina parece mais verde agora, as ondas de perseverança que transmito ao universo nada têm a ver com isso. 

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Falei




É sempre assim. Eu te busco onde estiver. Na época do ano em que nada te fascina mais que sair com os amigos ou nas noites em que o rebaixamento do Flamengo se transforma na sua chatura. Pra medir a intensidade desse troço que sinto por você, basta perceber que de menina desconfiada e desapegada, eu passo a ciumenta e mendiga de carinhos, coisa que nunca fui. Não importa pelo quê vc me troque, eu sempre te busco, feito uma mãe protetora ou uma fã pegajosa. Nada de jogos psicológicos ou estratégias de resistência. Sou egoísta e mimada assumida. Pra te ter, te conquisto a qualquer hora, a qualquer preço. Você é meu e pronto. Sempre foi, mesmo no tempo em que ainda não sabia disso. Falei.


sexta-feira, 15 de julho de 2011

Para casais II - As 5 linguagens




Retornando ao post passado Para casais I , como já havia dito, vamos à parte científica do assunto.
Bem, existem 5 linguagens do amor, 5 maneiras de sentir sua presença. E dentro de cada um de nós reina uma principal que se reflete na maneira como demonstramos nossos sentimentos por quem amamos. São elas:

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Para casais I



Pessoas, vocês não têm ideia de como eu me interesso por essa história de relacionamentos. E foi assim que passei a estudar as teorias de Gary Chapman. Vasculho cada grão de medo, de ressentimento, de saudade, de amor covarde. Procuro entender as condições da convivência, a inibição dos impulsos, o desconhecimento de causa de quem ainda não sabe o que sente. Ser humano é o único animal que controla seus instintos. Pobre ser distinto. Se enrola todo com a capacidade que possui de utilizar as melhores maneiras  de se relacionar.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Para a mulher mais bonita


Hoje eu vim falar daquela mulher bonita, morena, que não sabe envelhecer. Aquela que tem umas sardas no rosto de tanto que se exibe ao sol. Quase sempre se esquece do protetor solar por estar ocupada demais pensando na prova do meu irmão, na saúde do meu pai, na roupa da minha irmã e no protetor solar da filha que mora longe.  Ela é assim, como quase toda mãe. Enchedora de saco e hiperativa.

sábado, 25 de junho de 2011

Eu te conserto, tu me consertas




Você me corrompe com seu despotismo. Eu me encho de coragem de me doar. Me envolvo, te enlaço. E passo a sofrer de coração quando antes sofria de miocárdio.

Tudo bem, eu explico e você se enquadra no que eu vou dizer. É essa tendência, meu caro, coleção outono/inverno, primavera/verão. Esse agasalho que a galera toda ta usando pra se proteger: antiemoção.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Faz de mim




A preocupação com que se explica na intenção de acalmar meus desesperos faz sala pro vendaval no qual se transforma quando na minha vida se intromete. Tão bonita é a insistência de quem me faz prometer o óbvio, que vou me cuidar. É, parece mesmo que você conseguiu. Fez de suas soluções, meu conforto. Do meu desespero, seu cuidado. Fez de você, minha paz.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

L. responde 2




Se quando é amor fica pra sempre, o amor pode despertar outra vez?  Ou uma vez modificado, pra sempre assim? 

                                                               Amanda

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Valeu a pena



Olá você, que pula nessa festa, com o bracinho direito erguido, berrando mais uma vez aquela do Rappa, como se o mundo fosse acabar agora e você estivesse realmente feliz com o que tem feito nos últimos dias. Não. Não é isso que você pensa às 23:59 horas de cada dia. Na verdade, na maioria das vezes você se lamenta por não ter arriscado, se culpa por ter sofrido, liga a TV e dorme escutando o Jô, tudo isso pra se lembrar de esquecer de si mesmo e dos seus problemas.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Lorranny responde




Olá pessoal, venho aqui anunciar a estreia do Fórum com a pergunta da Alice \o/ e dizer àqueles que têm mandado por e-mail, que fico muito feliz em respondê-los.

Eis aqui a primeira perguntinha do Fórum:


                  "Se é amor fica pra sempre?"

                                                   Alice

Meu amor metafísico - à distância



Meu amor metafísico.  Ah, como é lindo. Tão nobre quanto qualquer outro amor. Tem sabor de saudade que espera pra acabar ou de fruta vermelha que não teve tempo de vingar, por isso não apodrece. Tem toda essa força, todo esse valor apenas quando nasceu mesmo pra ser amor. Quando tudo separa os lábios, mas nada separa a alma. À distância, fica mais evidente a afinidade louca de se saber amar sem certezas, sem garantias, sem saber.

terça-feira, 17 de maio de 2011

De coração


Amor. Ai ai. Não me diga que acredita nisso. Esse troço não existe, coisa fofa. É tropeço, perda de tempo, uma pedra no caminho. Rota que só serve pra desviar as pessoas dos seus objetivos; da sua própria sanidade. É por isso que te imploro. Cheio de rancores, mas ainda assim, de coração. Não mexa comigo ou com meus sentimentos. Sou sim, uma mulher de quase trinta que aprendeu a não ter tempo pra essas bobagens.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Sobre o fórum




"Querida Lorranny,

estou aqui para abrir meu coração, e te pedir encarecidamente que abra um espaço para as suas leitoras, permitindo que elas lhe escrevam seus sentimentos mais profundos de tudo o que é a vida. Talvez se lesse os nossos mais simples e profundos sentimentos você pudesse explicá-los para nós mesmas, já que é tão difícil entender um sentimento... e isso você faz muito bem. Desde já lhe agradeço com o coração pulsando e desejando um desabafo!"

                                                                                     Anônima


***

Olá querida leitora,

primeiramente, quero agradecer pelo recado e dizer que fiquei muito feliz quando o vi. É extremamente gratificante perceber que de alguma forma eu estou ajudando alguém através das minhas palavras e das minhas "análises" sobre a vida.

Pelo pouco que pude notar, você é uma pessoa muitas vezes mal compreendida, que se interessa em ir fundo nas questões cotidianas e que não se contenta com o óbvio ou qualquer outro tipo de resposta pronta. “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”, como diria o célebre Antoine de Saint Exupéry. Além de que ter dúvidas é intrigante, mas poder tentar desvendá-las é magnífico.

Mas o que tem a ver isso com a história? Bem, eu sei bem como são essas inquietudes que nos afligem e sei que existe mais ou menos um roteiro delas na vida de todos nós, como se a maioria das vivências, dos problemas e das dúvidas fossem se repetindo. 

É por isso que, depois de três meses falando, resolvi criar um espaço permitindo que vocês falem, dêem opiniões, expressem suas críticas ou abram seus corações como fez a leitora do desabafo.

Então é isso, o FÓRUM está aberto, na barra de menu abaixo do título do blog. Quem quiser deixar seu desabafo ou iniciar uma discussão, abra um novo tópico e vamos ver no que dá. 

Àqueles que não quiserem falar no fórum, deixo o meu e-mail: acorda-amor@hotmail.com


***

Todo mundo já amou sem saber ou já pensou saber amar. Todo mundo já tentou não chorar, mas chorou; todo mundo já sorriu durante um dia inteiro sem a mínima vontade. A diferença está na maneira como cada pessoa enxerga os fatos e sentimentos da vida. (Obrigada por dizer que eu sei entendê-los e explicá-los  =D) E eu só estou aqui pra ajudar.

"As pessoas têm estrelas que não são as mesmas. Para uns, que viajam, as estrelas são guias. Para outros, elas não passam de pequenas luzes. Para outros, os sábios, são problemas. Para o meu negociante, eram ouro. Mas todas essas estrelas se calam. Tu porém, terás estrelas como ninguém... Quero dizer: quando olhares o céu de noite, (porque habitarei uma delas e estarei rindo), então será como se todas as estrelas te rissem! E tu terás estrelas que sabem sorrir! (...)"

                                                                          Antoine de Saint Exupéry



A música perfeita



Ganhei esse texto maravilhoso de um colega meu, estranhamente no dia das mães. Mas ele tinha uma explicação. Depois de cortar e consertar a bagunça que eu fiz nas cordas do meu violão, ele associou as mulheres à música e disse que todas nós somos mães. Mãe do lar, mãe dos filhos, mãe de quem amamos. Aliás, mãe do que amamos. E por isso, todas deveriam ser lembradas.

Gradicida, moço!
Ps.: Eu ainda acho que devia por seu nome aqui.

terça-feira, 10 de maio de 2011

À luz de velas



Escute: Hunting high and low - A-Ha

Gosto de tudo simples, natural, sem maquiagens. Por isso, admito que eu, a garota mais acomodada do mundo, peco no quesito novidades. Por ser amante do tédio e apaixonada por rotinas, acabo não abusando das novas situações que poderiam balançar a vida. Sim, falo de situações planejadas, das quais eu deveria aprender a gostar. Criá-las pra ser mais exata.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Onde for


Eu ainda olho pra porta na esperança que você reapareça. Esse tem sido o meu mal. Não consigo me desligar de você. De vez em quando eu até ouço aquele barulho irritante que seu tênis faz em contato com o chão úmido que eu acabei de limpar. Mas não, não é nada. Ou talvez seja tudo. Tudo coisa da minha cabeça. Concentra, menina, volta pro que tava fazendo. A Irlanda sempre foi o sonho de vocês. Para de olhar pra essa porta, porque ele não vai aparecer, não vai te mandar mensagem e não mais vai sujar o corredor depois que você limpá-lo. Nunca mais vai.  Aliás, já foi. Aceita. Ta na hora de procurar a felicidade como haviam planejado, com ou sem ele. Pega logo sua passagem.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Só um pedacinho




Pra cada um que me faz eternamente feliz por algumas horas, que me tira do sério ou se importa comigo, vou oferecer um pedacinho de texto:

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Garota Overdose




Toda mundo diz que ela é doida. E ela é. Tem um jeito irreverente e um cabelo marcado de rosa, um pouco mais curto que o seu pavio. Acho que é por isso que ninguém a escuta. Rótulos. Se soubessem que ela tem tanto a dizer, com atos e com palavras, talvez lhe cedessem os olhos e os ouvidos.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Amar



Amar não é, necessariamente, escutar Roberto Carlos e chorar. Vou logo avisando. Isso é crise existencial, viadagem de quem sente. Amar é menos. Menos roteiro, menos slow motion, menos plateia. Amar é mais. Mais arrependimento, mais implicâncias, mais achar que sabe tudo.

domingo, 24 de abril de 2011

Humano, demasiado humano


Filme Balzac - a costureirinha chinesa

Humano, demasiado humano. Recentemente, essa frase de Nietzsche mexeu comigo. É o tema da campanha dos candidatos à diretoria de alguma coisa lá da Universidade. Confesso. Meu voto está sendo perigosamente seduzido pela paixão com que o candidato fala de certas coisas intraduzíveis. Um brinde às humanas! 

terça-feira, 19 de abril de 2011

... homem não chora



Leia antes:  (Parte I) Todo mundo sabe que...

Falando sério, eu ainda não sei por que perco meu tempo com você, Émille. Ainda tento chamar sua atenção falando mais alto e mexo as mãos no bolso compulsivamente quando te vejo. Um otário eu devo ser. Um babaca que ainda tenta te convencer de que é legal tratar bem quem te trata bem. Como pode, meu Deus, ser tão fria assim? Não. Por favor, me diz, me explica. Me ensina, Émille. Quem sabe assim eu consiga achar normal essa sua arrogância e dar as costas de vez pra esse seu narizinho em pé.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Todo mundo sabe que...


Tudo bem, você pediu, eu to aqui. Vou explicar de novo, André. Vê se entende dessa vezNossas tardes juntos foram magníficas, meu bem. Sua pizza é a melhor do mundo, sua risada é esquisita e só por isso me faz sorrir, tudo conforme os livros que leio e os carinhos que sonho receber; mas é isso mesmo que você insiste em não escutar. Sempre esteve decidido. Eu até gosto de você, mas não é isso que eu quero. Se eu pudesse escolher, talvez eu me apaixonasse por você um dia.

sábado, 16 de abril de 2011

Sem paladar



Queria te fazer um pedido. Posso?

Então, é o seguinte, nós vivemos muito tempo juntos e você sabe quase tudo de mim, não é mesmo?! Conhece meu silêncio quando me irrito, minhas risadas quase sempre escandalosas e, enfim, meu apetite voraz quando fico nervosa. Pois é, então... chegamos ao ponto. Seria abuso demais te pedir pra que viesse aqui cozinhar pra mim?  

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Dia enfeitado




Quem Maria pensa que é
pra falar assim do amor? 
Sua cintura, até hoje,
nenhum moço enlaçou.
Sem promessa ao pé do ouvido, chocolate ou flor roubada
de minha linda Mariazinha, ela nunca foi chamada
Só sonha com Manuel,
quer amar e ser amada.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

A gente ia se casar


Escute: Timer after time - de Cindy Lauper na voz de Eva Cassidy  (prefiro Cindy  :x)


A gente ia se casar. Mas isso já faz algum tempo. Naquela época, eu sonhava em vê-lo escovando os dentes contra a luz da janela da nossa casa , como num filme francês. Ele era tão bonito. Tinha uma barriga gostosa, fruto de uma alimentação recentemente desregrada. E gostava de mim. Não sei se eu já falei, já? Acho que não. Mas então, a gente ia se casar.

sábado, 9 de abril de 2011

Cautelosa sim


Gosto de olhar e te perceber. Venho estudando a maneira como você dá um nó na minha cabeça com precisão e sem esforço algum. Depois se queixa por eu ser tão cautelosa. Preciso entender isso ou jamais terei domínio dos meus sentidos novamente.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

À Sabrina


Sabrina,

Leia enquanto escuta: Menina - Teatro Mágico
de repente me bateu uma vontade de escrever pra você. Dizer alguma coisa que eu não sei direito o que é. Acho que eu me lembrei de você e de suas más respostas, aí fiquei querendo me desculpar. Pelas vezes em que eu não tirei um tempinho pra assistir filme com você, ou então, sei lá, por não gostar muito de tirar fotos. Vai, pode dizer que me odeia, que eu sou a irmã mais chata do mundo. Só assim eu vou saber que você também não se imagina sem mim. Às vezes eu esqueço o quanto você é engraçada e me faz sentir sempre em casa, mesmo eu não estando. Então, desculpa, tá?!

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Somos assim



Vivemos ressaltando nossa ojeriza por alguns seres humanos. Chamem-nos do que quiser: antissociais, arrogantes, o que for, mas essa nossa mania de ignorar alguns estilos de vida não é um capricho sem fundamento. Falo isso por mim e por quem mais quiser entrar no mal interpretado clube dos excêntricos.

domingo, 3 de abril de 2011

Texto maldito


Eu sei, tá virando rotina agora esses meus discursos metalinguísticos. Isso porque quando me arrependo de ter dito certas coisas, eu abaixo a cabeça e venho me retratar. Sei lá, às vezes, a gente pensa em certas ideologias que serviram no passado e as toma como verdade, sem perceber que elas já não cabem mais aqui e agora.

sábado, 2 de abril de 2011

Aceitar é preciso


Era 04 de outubro quando você não me quis mais. Aliás, nem sei se um dia você me quis de verdade.  Doeu. Desliguei a TV, me virei para o canto e um nó na garganta não deixou a dor passar em branco. Pelo menos isso, já que não cheguei a chorar, eu acho.

Está certo, queixei-me um pouco, mas logo percebi que  qualquer atenção que eu conseguisse roubar seria migalhas. Se você preferia garantir um futuro realizado, com qualquer outra mulher, sem dificuldades ou emoções demais no amor e filhos que não titubeassem ao decidir entre o seu glorioso alvinegro e o meu guerreiro azul-celeste, ok, que fosse em frente! Eu não teria mesmo mais coragem de interromper seus planos e jamais quis que você me quisesse por conveniência. Só facilitei a vida. Minha e sua, acredite.

Precisávamos mesmo de um tempo. Essa é a verdade. Agora, mais do que nunca, você sabe o que quer e o que precisa. Eu quero sentir que você me quer, mas preciso que tenha certeza disso.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Carta aos leitores

Prezados leitores,


Tudo bem com vocês? Como anda a vida, o emprego, os filhos.. firmeza? Graças a Deus então. Fico feliz por vocês.  Se estiverem passando por algum problema, precisando de um conselho como já pediram, sei lá, não sou guru, nem psicóloga ou conselheira amorosa, mas posso tentar ajudar. 

Mas enfim, vamos direto ao ponto: Ela tem pressa. Mas Lorranny, você já disse... Calma, gente, eu sei que eu já afirmei isso dia desses num texto passado. Não era minha intenção dizer de novo, mas já que ninguém me entende, eu repito: Ela tem pressa. E o que me traz aqui é a repercussão do conto em questão.